Palmeiras 1 X 1 Santos – empate no Allianz Parque traz Peixe de volta ao G4

Em partida válida pela 14ª rodada do Brasileirão de 2016, o Santos foi ao Allianz Parque e quebrou o aproveitamento de 100% do Palmeiras em casa, empatando em 1 a 1. Resultado leva o Alvinegro de volta à zona da Libertadores

O Santos conseguiu na noite desta terça-feira (12) um empate contra o Palmeiras no Allianz Parque, após ir para o segundo tempo perdendo por 1 a 0. O resultado trouxe a equipe de volta para o G4, a seis pontos do adversário.

Alguns comentaristas atribuíram o gol tomado pelo Santos, logo aos 6 minutos, ao fato de Cuca armar “blitzes” contra os rivais que atuam no Allianz Parque. Isso facilita, mas o tento não foi fruto de uma avalanche de ataque, e sim de um erro comum para o time na temporada. A bola aérea é um veneno para o Alvinegro, infelizmente, também um ponto alto do Alviverde. Assim, de um escanteio do lado esquerdo da defesa surgiu o gol de Mina, que subiu sem ser incomodado.

Com a forte marcação palmeirense nos lados do campo, não bastava apenas a troca do ala com o atacante que caísse por ali, exigindo uma aproximação maior dos meias. Contudo, Renato esteve muito recuado, Thiago Maia, perdido, e Lucas Lima com muito pouca movimentação, os visitantes demoraram a se encontrar na partida. Mesmo assim, no decorrer do primeiro tempo o Peixe foi equilibrando o jogo. Mas sempre errando no último passe, muito em função da postura do Palmeiras, que se fechou com as famosas duas linhas de quatro próximos à entrada da área. Isso fez com que, mesmo tendo quase 60% de posse de bola, o Peixe finalizasse somente uma vez, ou quase duas, se contarmos um cruzamento na área no qual faltou o toque de Lucas Lima no final da primeira etapa. Os donos da casa, apesar de terem finalizado, fora o lance do gol, quatro vezes, não exigiram uma defesa do goleiro Vanderlei.

Na volta para a segunda etapa, o Alvinegro voltou com mais movimentação, utilizando aquela troca constante de posições já apresentadas em outras pelejas. Lucas Lima fez uma dupla mais efetiva com Victor Ferraz e Gabriel transitou bastante pela meia. Foi o atacante que empatou a partida ao finalizar de fora da área e contar com um providencial desvio de Vítor Hugo, que tirou a bola do alcance de Fernando Prass.

Se já havia mantido uma maior posse de bola na primeira etapa, o Alvinegro ampliou ainda mais sua eficiência nesse quesito. De acordo com o Footstats, os visitantes terminaram o jogo com 62,3%, com 9 finalizações contra 11 dos donos da casa. E foi do Santos a maior chance do jogo, um contra-ataque rápido que Thiago Maia desperdiçou ao finalizar grotescamente, de dentro da área, para fora.

Muitos torcedores santistas nas redes sociais lamentaram o empate, já que o Peixe atuou melhor na etapa final e o Palmeiras parecia perdido em campo. Mas é bom lembrar que era um quadro parecido com o do duelo contra o Grêmio, e o resultado foi uma derrota em um embate direto. Justifica-se a cautela diante de uma equipe que é líder da competição e que obteve o recorde de público em seu estádio, no qual era 100% na competição, na noite desta terça. Na Vila, o Alvinegro pode vencer se mantiver o nível das últimas pelejas contra o Palmeiras.

gabigol do santos

Gabriel marcou, mas precisa se controlar (Santos FC)

O adversário valoriza o placar final

É bom ressaltar que, além dos desfalques que o Palmeiras teve logo de cara, sem Thiago Santos, Gabriel Jesus e Róger Guedes, o time sofreu ainda com duas substituições forçadas no primeiro tempo.

Mas, como diz a mídia esportiva, este seria o melhor elenco do Brasileiro, não? Entretanto, mostrou que não tem atacantes com características similares aos suspensos, o que já é uma deficiência, no mínimo, na montagem do elenco. Já o Santos não tem Ricardo Oliveira desde a final do campeonato paulista, teve a ausência de Gabriel e Lucas Lima durante diversos jogos. E, mesmo tendo em tese um elenco menos qualificado, conseguiu manter uma boa sequência. Ponto para Dorival Júnior.

Importante ressaltar que a equipe do Palmeiras, ao menos contra o Alvinegro, privilegiou bastante a marcação e conseguiu barrar boa parte das jogadas santistas pelo lado. Não à toa, Victor Ferraz errou o seu maior número de passes em toda a competição, 15, um a mais que no jogo contra o Atlético-PR, e Zeca, mesmo tendo igualado sua partida com menor quantidade de passes, 40 no total, errou seis.

Por conta também das circunstâncias do jogo, ficaram evidentes duas formas de atuar. O Santos manteve seu jogo de trocas de bola, alternando com contra-ataques rápidos que só deram as caras no segundo tempo. Foram 394 passes contra 206 do rival, que preferiu as bolas longas: 33 lançamentos contra 18 do Peixe.

Gabigol, não “Gabimarra”

Após um primeiro tempo apagado, em que se destacou mais pelo destempero, Gabriel, assim como todo o time, retornou melhor na etapa final. Fez o gol de empate, procurou compor o meio de campo e puxar contra-ataques, mas fez uma gracinha desnecessária ao tirar a bola do lugar em uma cobrança de falta do Palmeiras. Tomou uma bronca providencial do meia Renato. Precisa voltar ao planeta Terra.

1 comentário

Arquivado em futebol, História, Santos, Século 21

Uma resposta para “Palmeiras 1 X 1 Santos – empate no Allianz Parque traz Peixe de volta ao G4

  1. Pingback: Santos 3 X 1 Ponte Preta – Peixe faz a lição de casa e seca rivais no domingo | Filho de Peixe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s