Arquivo da tag: primeiro jogo entre Santos e Coritiba

Pré-jogo: o histórico de confrontos entre Santos e Coritiba e duas partidas para rever

Quanto entrarem no gramado do Couto Pereira hoje, às 19h30, Coritiba e Santos farão seu 33º jogo válido pelo Brasileiro unificado. A vantagem na competição é ampla para o Peixe, são 18 vitórias, 9 derrotas e cinco empates até agora, 56 gols a favor e 41 contra. Ao todo, foram 42 partidas entre os dois, com 23 vitórias alvinegras, 8 empates e 11 derrotas.

A primeira peleja foi disputada em 20 de maio de 1941, um amistoso na Vila Belmiro que terminou em 10 a 3 para os donos da casa, a maior goleada do confronto. Naquela ocasião, um fato inusitado: Carabina marcou seis gols, sendo que cinco deles foram de cabeça. E era só sua estreia… Quem também debutou naquele dia foi o arquiteto Antoninho. Raul, Cláudio, Bonje e Tom Mix completaram pelo lado alvinegro, enquanto Pio e Gabardo (2) fizeram pelo Coritiba.

Neymar, algoz do Coxa em 2012

Neymar, algoz do Coxa em 2012

O último jogo entre os dois no Couto Pereira terminou com vitória alvinegra. O Santos virou aquela partida do dia 16 de setembro e bateu o Coxa por 2 a 1, dois gols de Neymar. Aliás, um dos gols antológicos do Onze que você pode conferir abaixo. Provocado quase o tempo todo pela torcida adversária, ele passou por cinco marcadores e contou com a ajuda da sorte para marcar. Ao fazer o segundo, devolveu a provocação recebida pela torcida do Coxa e tomo um cartão amarelo.

Mas uma partida que muitos devem ter lembrança, por ter sido uma das melhores equipes do Santos nos últimos anos, foi a disputada no Couto Pereira em 24 de outubro de 2003. Vitória por 4 a 0 com dois gols de Robinho, um de Léo e outro do zagueiro André Luiz. Na ocasião, houve a volta do zagueiro Narciso aos gramados após quatro anos de fora, em função de uma leucemia. Após entrar aos 38 minutos do segundo tempo, no lugar de Diego, o jogador acertou a trave e, quase no fim do jogo, tentou aproveitar uma finalização de Robinho, mas a bola passou por cima do travessão.

Deixe um comentário

Arquivado em Ídolos, Década de 40, futebol, História, Santos, Século 21