Por que Filho de Peixe?

Quando tinha seis anos de idade e morava em São Vicente, na Baixada Santista, meus mais próximos amigos eram corintianos. Embora na família todos fossem santistas, nem meu pai, nem os irmãos mais velhos me forçaram a torcer pelo Santos. Mas, sem emissoras de televisão locais, só acompanhava notícias dos grandes da capital, já que a mídia paulistana pouco falava do Peixe (até hoje é assim).

Certo dia, por conta de todo esse contexto, resolvi virar corintiano. Anunciei tal postura no almoço de domingo, mas ninguém levou a sério. À tarde, meus pais faziam a tradicional sesta e escutei o rádio ligado no quarto deles. Percebi que era a transmissão de Santos e Portuguesa. Escutei um pouco por trás da porta e, meio envergonhado, entrei e perguntei pro meu pai quanto estava o jogo. Ele questionou rindo: “ué, mas você não é corintiano?”.

Já era santista. Algo inexplicável, como se já corresse no sangue aquilo que me tornaria um apaixonado pelo clube. Que faria suportar os anos de fila, me emocionar com o fim do jejum, vibrar com as viradas sensacionais, com os espetáculos na Vila mais famosa. Com os gols do único time profissional que fez mais de onze mil tentos no mundo. E com a história fabulosa de um esquadrão que tinha tudo pra ser apenas uma equipe de bairro, de uma cidade média, mas que estava predestinado a ser grande. Muito grande.

A proposta desse blogue é mostrar capítulos dessa história gloriosa. Tanto as passagens que meu pai até hoje conta até aquelas que o pai da minha mãe, mineiro e também quase inexplicavelmente torcedor peixeiro quando ainda morava em Pouso Alegre, não teve oportunidade de me contar. Enfim, aqui pode-se encontrar um pouco da trajetória do Santos Futebol Clube, que é revivida toda vez que o nosso time adentra o gramado e também quando um torcedor sai à rua com o manto sagrado do Alvinegro Praiano. Para notícias e análises mais atuais do Santos, acesse o Futepoca.

Saudações peixeiras!

6 Respostas para “Por que Filho de Peixe?

  1. Mckenna

    Não sou filha de peixe, meu pai era Flamengo e com0 era criança na década de 80, e vivia no Rio, torcia para o Flamengo. Conhecia o Santos, o time que teve Pelé em seu elenco por anos. Mas agora tinha o Zico.

    A história mudou quando vim para São paulo e como carioca, mesmo detestando os times paulistas, vi que eu respeitava o Santos. Com o tempo percebi que os times da Capital e seus torcedores desprezavam o Santos pois era do Litoral (inveja) então, quando jogava com eles, eu torcia um pouco para o Santos.

    Detestava o Corinthians, e vê-los perder a Final de 2002 para o arqui-rival, que eles tanto desprezavam foi o golpe Fatal : tinha que me assumir santista.

  2. Erik Queiroz

    Gostaria de saber se alguem junto ao pessoal do Santos tem alguma reportgem sobre um jogador de nome Eric que saiu do Nautico de Recife para o Santos Futebol Clube.

  3. A história mudou quando vim para São paulo e como carioca, mesmo detestando os times paulistas, vi que eu respeitava o Santos. Com o tempo percebi que os times da Capital e seus torcedores desprezavam o Santos pois era do Litoral (inveja) então, quando jogava com eles, eu torcia um pouco para o Santos.
    +1

  4. Prezado filho de peixe
    Estou iniciando um blog http://claudio.fernando.zip.net Conhecendo Santos, onde estou escrevendo dicas e dados interessantes sobre Santos.Embora corintiano, escrevi uma materia sobre o time do Santos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s