Arquivo da categoria: Momentos históricos

Palmeiras X Santos – relembre cinco vitórias do Peixe fora de casa no “clássico da saudade”

Alvinegro já superou o adversário desta terça-feira fazendo grandes jogos na casa do rival. Relembre

Santos e Palmeiras vão disputar nesta terça-feira (12) o chamado “clássico da saudade”, apelido dado à peleja por conta dos grandes duelos entre ambos vividos anos anos 1960.

No histórico de confrontos entre Santos e Palmeiras, o clube paulistano leva vantagem: são 314 jogos, com 101 triunfos santistas, 82 empates e 132 vitórias palmeirenses. Mas, como sempre acontece quando se faz esse cálculo do Peixe com seus rivais do Trio de Ferro, é preciso ressaltar que a grande maioria das partidas foi disputada em São Paulo, fora do Urbano Caldeira. Nesse caso, por exemplo, somente 105 encontros, pouco mais de um terço, foram jogados na Vila.

Em seu estádio, o Santos tem vantagem (44 vitórias contra 42), assim como no Pacaembu (29 contra 25). Contudo, perde no Morumbi (12 a 18) e no Parque Antártica (12 a 35). Para inspirar a peleja que vai ser disputada no campo rival, vamos relembrar algumas grandes vitórias do Alvinegro em São Paulo.

1 – Palmeiras 0 X 7 Santos (1915)

Em 3 de outubro de 1915, o então Palestra Itália, criado um ano antes, queria disputar o campeonato paulista, mas a Associação Paulista de Esportes Atléticos impôs como condição o clube enfrentar uma equipe considerada de ponta para provar que possuía condições técnicas. O escolhido foi o Santos, que não disputava o estadual mas era reconhecido como um time forte.

A partida, disputada no Velódromo de São Paulo, foi um massacre. Um 7 a 0 com três gols de Ary Patusca, dois de Anacleto Ferramenta, um de Aranha e outro de Arnaldo Silveira. De acordo com o Almanaque Santos FC, 250 torcedores subiram a serra nos vagões da SPR Railway para vibrar pelo Alvinegro.

Depois da derrota, o Palmeiras quase fechou as portas, mas foi beneficiado pela expulsão do Scottish Wandereres do campeonato e conseguiu sua vaga mesmo assim.

2 – Palmeiras 2 X 3 Santos (Taça Cruz Azul/1927)

Além da vitória e do título do torneio, a partida de 3 de abril de 1927 é histórica para o Peixe por marcar a estreia de um de seus maiores ídolos.

Artilheiro do Paulista anterior e contratado junto ao São Bento, Feitiço jogava sua primeira partida pelo clube e marcou um dos gols do Alvinegro na peleja. Os outros foram anotados por Araken e Camarão que, com Omar e Evangelista, formariam a primeira linha dos cem gols do futebol nacional.

3 – Palmeiras 1 X 4 Santos (Campeonato Paulista/1967)

O Alvinegro seria o campeão paulista daquele ano, e quando foi visitar o Alviverde em 29 de outubro de 1967 não foi um visitante agradável.

O time comandado por Antoninho bateu a bela esquadra palmeirense em seus domínios, a equipe de Mário Travaglini que contava com Valdir de Moraes no gol, Djalma Santos, Dudu, Ademir da Guia, César Maluco. Mas o dia foi de Toninho Guerreiro, que marcou duas vezes, Silva e Pelé, que completaram o placar.

4 – Palmeiras 1 X 3 Santos (Torneio Rio-São Paulo/1997)

Naquele início de ano o Alvinegro havia contratado Vanderlei Luxemburgo, vindo justamente do Palmeiras, para tentar retomar sua trajetória de títulos. E a primeira competição do técnico e do clube em 1997 foi o Rio-São Paulo.

Após superar o Vasco, o Peixe pegava na semifinal o Palmeiras, que ainda contava com o suporte da Parmalat e tinha em sua equipe vários jogadores de alto nível como Veloso, Cafu, Júnior, Djalminha e Luizão. Mas o Peixe superou o adversário com gols de Baiano, Marcos Assunção e Robert. Jogaram ainda pelo Santos naquele dia Zetti, Sandro, Rogério Seves (que entrou no lugar de Baiano), Ronaldão, Dutra, Vágner, Piá (Eduardo Marques), Robert, Macedo (João Fumaça) e Alessandro Cambalhota. O time atuou com calções estrelados.

5 – Palmeiras 1 X 2 Santos (Campeonato Paulista/2009)

Depois de um ano ruim em 2008, reflexo da crise financeira que se abatia sobre o clube no final da última gestão de Marcelo Teixeira, o Peixe ressucitou no início de 2009 ao fazer um bom campeonato paulista sob o comando de Vágner Mancini. Ele lançou Neymar na competição e o time chegou à final, sendo derrotado pelo Corinthians que tinha um elenco bem mais robusto.

Mas nas semifinais o Alvinegro cruzou com o Palmeiras. Os peixeiros já haviam vencido a primeira partida na Vila, por 2 a 1, e repetiram a dose no Parque Antártica, em um jogo pra lá de tumultuado. O Santos dominou as ações e o rival, e só tomou um gol em um frango incrível de Fábio Costa. Madson (1 gol), Neymar, Kleber Pereira (1 gol) e PH Ganso envolveram a defesa alviverde e Mauricio Ramos, Diego Souza e Domingos foram expulsos.

Leia também:

Cinco vitórias memoráveis do Santos sobre o Palmeiras no Clássico da Saudade

Palmeiras X Santos – as prováveis escalações e o que esperar do jogo

2 Comentários

Arquivado em Década de 10, Década de 20, Década de 60, Década de 90, futebol, História, Momentos históricos, Santos

Há 20 anos, Santos vencia o Real Madrid na Vila Belmiro

Clássico mundial marcou a despedida de Giovanni do Peixe. Relembre como foi

Em junho de 1996, o Santos sacramentava a venda de um de seus ídolos para o Barcelona. Giovanni, denominado pela torcida como o Messias, saía do clube após resgatar a autoestima do santista, não se sagrando campeão brasileiro em 1995 por motivos que todos já estão fartos de saber.

Para a despedida do craque, nada como um jogo de gala. O adversário escolhido foi o Real Madrid, que veio ao Brasil jogar contra o Alvinegro no dia 20 de junho, na Vila Belmiro. Antes disso, ambos haviam se encontrado apenas uma vez, em 1959, no Santiago Bernabeu, ocasião em que Pelé e Di Stéfano se cruzaram. Cansado após uma verdadeira maratona de jogos (foram 13 partidas na Europa em um período de 21 dias), o Santos perdeu por 5 a 3.

Outra partida poderia ter acontecido em 1965, mas os madrilenhos “declinaram”… Haveria outro cruzamento em 1968, só que os espanhóis mais uma vez não quiseram: abriram mão de disputar a Recopa Intercontinental contra o Peixe.

Naquela peleja de 1996, o Alvinegro, comandado por José Teixeira, entrou em campo com Edinho; Claudio, Sandro, Narciso e Marcos Adriano; Gallo (Cerezo), Baiano (Marcos Paulo), Robert (Marcelo Passos) e Jamelli; Macedo (Camanducaia) e Giovanni (Batista). O Real tinha jogadores como Fernando Redondo, o colombiano Rincón, que entrou no decorrer do jogo, e o artilheiro chileno Ivan Zamorano.

O resultado? 2 a 0 para o Peixe, com gols de Jamelli, de pênalti, e Camanducaia. Confira abaixo:

Deixe um comentário

Arquivado em Década de 90, futebol, História, Momentos históricos, Santos

Na inauguração de São Januário, quem deu bola foi o Santos

Estádio do Vasco, que será palco do clássico do time cruzmaltino contra o Flamengo neste domingo (14),  foi inaugurado em 1927 com um show do Peixe

Inaugurado em 21 de abril de 1927, o estádio do Vasco da Gama, São Januário, será palco neste domingo do clássico entre o time da casa e o Flamengo, já que os outros estádios maiores da cidade do Rio, Maracanã e Engenhão, estão sendo preparados para a disputa dos Jogos Olímpicos de 2016.

O que poucos sabem é que foi o Santos quem inaugurou o estádio em partida contra a equipe cruzmaltina. E foi o responsável, também, pelo primeiro revés dos donos da casa no recém-inaugurado São Januário.

Vasco X Santos em 1927

Cena da inauguração de São Januário (Reprodução Site do Vasco)

Aquele Alvinegro seria o time que assombraria os amantes do ludopédio ao ser a primeira equipe brasileira a anotar cem gols em uma competição. E todos os integrantes da chamada linha dos cem gols santista atuaram naquele dia. Omar, Camarão, Feitiço, Araken e Evangelista estiveram em campo e o destaque da peleja foi Evangelista, que marcou três vezes, com Omar e Araken completando o placar. Negrito, Galeto e Pascoal fizeram pelo Vasco, na derrota dos anfitriões por 5 a 3.

O triunfo garantiu ao Peixe o troféu A Vitória, alusivo à inauguração da casa vascaína, àquela época, o maior estádio de futebol da América do Sul, comportando 40 mil pessoas em sua première.

 

Deixe um comentário

Arquivado em futebol, História, Momentos históricos, Santos